BLOG DE ATUALIZAÇÕES DO DOC FÁCIL - Aplicativo em VBA para a personalização e impressão de RECIBOS, NOTAS DE SERVIÇO E DAM'S com cálculos automáticos de ISS, IRRF, INSS.
Permite CADASTRAR e SALVAR "Credores", "Fornecedores" e "Históricos".
PESQUISA E EMITE 2ª VIA DA NOTA DE SERVIÇOS-
É totalmente DIRECIONADO À ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA (PREFEITURAS).

Informações: barraus@hotmail.com

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

IPI menor para material de construção até 2011

Ministro da Fazenda anuncia prorrogação do incentivo que terminaria no fim do ano Segundo ele, os incentivos fiscais foram necessários para que o Brasil saísse mais rapidamente da crise, mas o próximo governo deve priorizar o desenvolvimento sustentável. Mantega continuará na pasta na gestão de Dilma Rousseff. “Com a crise, tivemos de elevar os gastos públicos, os subsídios do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e a desoneração de impostos. Fomos bem-sucedidos. Mas agora vamos focar o crescimento mais sustentável”, declarou.

Em expansão

O anúncio da prorrogação do IPI saiu no primeiro dia útil após a Confederação Nacional da Indústria (CNI) ter divulgado pesquisa apontando que a atividade da construção civil manteve-se em expansão em outubro pelo nono mês consecutivo.

Conforme O DIA publicou no sábado, a Sondagem da Construção Civil mensal mostrou que o nível de atividade permaneceu em 53,8 pontos, idêntico ao índice de setembro. Os indicadores da pesquisa variam de zero a cem. Valores acima de 50 pontos indicam crescimento ou expectativas positivas.

Segundo a Sondagem, o setor continuou aquecido, ou seja, o nível de atividade está acima do usual nos meses de outubro. O crescimento da atividade do setor é liderado pelas pelas grandes empresas, com indicador de 58 pontos. Médias (com 51,5 pontos) e pequenas empresas (52 pontos) estão quase empatadas nas posições anteriores.

Abramat reivindica zerar imposto

O presidente da Abramat (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção), Melvyn Fox, considerou muito positiva a decisão de o governo prorrogar a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para os materiais até o fim do ano que vem. “Isso sinaliza que a presidenta Dilma (Rousseff) vai dar continuidade ao Governo Lula. Também mostra que ela quer manter o diálogo. O canal está aberto”, diz Fox.

Segundo ele, o setor queria IPI zero para todos os materiais e a redução de PIS e Cofins, conforme proposta apresentada ao governo. “Mas o ministro Guido Mantega deixou claro que as portas para negociações estão abertas”, comenta.

O setor de materiais de construção deve crescer de 12% a 13% este ano, em comparação a 2009. Para 2011, a expectativa da Abramat é de expansão entre 8% e 10% — percentual acima do PIB (Produto Interno Bruto) nacional, de acordo com as estimativas de Fox.

O crescimento do setor se deve pelo volume expressivo de recursos para financiar a construção de imóveis e ao consumidor ‘formiguinha’, que compra material de construção para ampliar ou reformar a casa. “Esse público representa 60% de todo consumo de materiais de construção no País”, explica Fox.

Rio - Cesta básica de materiais de construção civil, com 45 itens, manterá redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) até 31 de dezembro de 2011. Foi o que anunciou ontem durante o Construbusiness o ministro da Fazenda, Guido Mantega. O IPI menor do setor de construção venceria no fim deste ano. “O setor de habitação está em crise no mundo todo e o Brasil vem na contramão. Vamos continuar, portanto, com os estímulos dados à construção. Já estamos preparando as medidas necessárias e a redução do IPI já vale para o dia 1º de janeiro”, afirmou Mantega.

por TAMARA MENEZES

Fonte: O Dia Online - 30/11/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Liberdade. Eu cultivo!